25.10.07

SALTOS OFF-ROAD

Se estiver num circuito, pare a moto e vá a pé reconhecer o salto.

Depois faça duas ou três passagens lentas com a moto. Só depois e progressivamente é que deve aumentar a velocidade e comprimento do salto.

Saltar mais alto ou mais longe, não quer dizer que esteja indo mais rápido. Em algumas situações, quanto mais depressa pousar as rodas no chão, melhor. Por exemplo, no caso de ter uma curva logo após o salto.

Se o salto for em terreno aberto e não tiver oportunidade de fazer o reconhecimento, muita atenção! Nunca se sabe o que está do outro lado!
Encare o salto de pé, com o peso ao centro da moto, pernas e braços relaxados e levemente dobrados.

Acelere no início da rampa e desacelere quando chegar ao topo.

Se desacelerar cedo de mais, a moto vai aterrissar com a roda da frente primeiro. Desacelerar tarde demais pode levá-lo a exagerar na extensão do salto.


Outro fator que decide o modo de aterrissagem é o posicionamento do corpo.

Jogue o corpo para trás, ao saltar.

Essa transferência de peso vai permitir aterrissar, em primeiro lugar com a roda traseira, e pouco depois com a dianteira.


O corpo é que vai dar o equilíbrio. Tente encontrar o equilíbrio certo. Desacelere enquanto estiver no ar. Volte a acelerar, quando entrar em contato com o solo, se necessário ponha uma marcha mais alta enquanto estiver no ar.

É importante o motor estar solto (embreagem) para a roda traseira não trancar, e o motor entrar em excesso de rotação.

Use as pernas e os braços como amortecedores para suavizar o impacto no solo.

Os conselhos descritos pretendem ser apenas uma base técnica, que terá de ser adaptada conforme a experiência do motociclista, moto utilizada, tipo e condições do terreno.

Em nenhuma situação deve-se utilizar uma moto sem estar devidamente protegido, com todo o equipamento de segurança.

Nenhum comentário:

Lista de Postagens