REBOQUES

NOÇÕES DE SEGURANÇA COM REBOQUES - Na frente de minha loja favorita de acessórios, tive a oportunidade de conhecer um dos clientes, que era o feliz proprietário de uma moto nova, com um reboque da mesma cor. O reboque era uma beleza, pois estava extremamente lustrado.

Foto da moto e reboque

Ele me contou que, em 20 anos de estrada, ele sempre teve um reboque.

Conversamos bastante sobre as características de pilotagem, efeitos no consumo, no desgaste dos pneus (incluindo o pneu traseiro da moto), e de práticas apropriadas de distribuição da carga. Acredito que aprendi bastante com ele.

Observei seu engate. Além da bolinha, ele possuía uma articulação, para facilitar os movimentos de inclinação da moto. Muito engenhoso.

O problema era que, em 20 anos de pilotagem, ninguém havia lhe dito para cruzar as correntes de segurança (são correntes que seguram o reboque caso este se desconecte). Cruzando as correntes, você forma uma 'rede' que impede que a haste do reboque caia no asfalto, caso se desconecte. Se a haste caísse no asfalto, ela ia se arrastar e trancar em alguma saliência, o que seria bem desagradável.

E mais: ao contrário de um reboque automotivo, a haste do reboque motociclístico está alinhada com o pneu traseiro. Se as correntes forem longas, pode acontecer de a haste (solta) encostar no pneu, e talvez cortá-lo.

Então, quando você for conectar o reboque, cruze as duas correntes sob a haste, para ter mais segurança. Assim, você pode aproveitar melhor a comodidade e capacidade extra de carga, que um reboque invariavelmente traz.

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

CAPACETE NO TANQUE? NC 750X - crossover

no Brasil R$ 28.990  Na crossover NC 750X, a Honda não apenas aprimorou o conjunto, mas também procurou potencializar as principais carac...