25.10.07

LIMITES DE ATENÇÃO

O rádio pode atrapalhar - Quando tudo está indo bem, pilotar uma moto é fácil e muito agradável. Com isso quero dizer que: o tempo está perfeito, o trânsito é leve, a moto é conhecida e boa de mecânica, e você está descansado e saudável. Com estas circunstâncias, você pode se focar inteiramente em outras coisas, como a paisagem - ou acreditar que você pode se distrair por um minuto, e morrer em seguida.

Por outro lado, nunca há um dia melhor para observar a paisagem do que um dia como este. Observar os campos, sentir o aroma da grama recém-cortada, ou apreciar a vista de alguns balões de ar quente voando por perto. Entretanto, isto não é um conflito de segurança?

Note que 'prestar atenção' não é o mesmo que 'estar alerta', na verdade são quase opostos. Os dois são conceitos mutuamente exclusivos, exceto para algo em que você esteja focado. Deixar sua atenção vagar é o mesmo que estar alerta. Há uma lição a ser aprendida com a distinção.

Suponha que você tem um limite, para a quantidade de coisas diferentes que sua mente pode prestar atenção num único momento. Você pode estar ciente do trânsito, de quão rápido você está indo, dos sons que seu motor está fazendo, de que hora do dia deve ser, da música que toca no seu rádio, da paisagem que você está vendo, da temperatura, de quanto tempo faz desde a última vez que você comeu, e da localização aproximada das motos à sua frente e atrás. Pareceria para a maioria das pessoas que você pode estar ciente de todas estas coisas ao mesmo tempo, sem limites. Isto é porque você presta atenção (pouca) em cada uma delas por um curto tempo, e depois passa à coisa seguinte, desde que elas sejam o que você espera delas.

A habilidade de notar que algo está errado se chama "estar alerta". Se, durante esta varredura das coisas ao seu redor, algo fora do normal acontece, você se foca na discrepância. Você presta muito mais atenção nela, e agora você vê que sua habilidade de prestar atenção nas outras coisas chegou ao limite.

Por exemplo, se durante esse passeio pelo campo, aparecer um disco voador bem a sua frente, você ficará focalizado somente nele, e no que deve fazer a respeito. Você não vai mais conseguir apreciar a paisagem, nem os balões de ar quente, mesmo que um deles despenque céu abaixo.

O que descobrimos é que não somente há um limite para a nossa atenção, mas que estar focalizado diminui nossa capacidade de estar alerta à outras coisas, e isto é perigoso!

Quando pilotando, se uma coisa dá errada, devemos diminuir o estímulo das outras coisas. Por exemplo, se estiver chovendo e for noite, e descobrirmos que estamos perdidos, a primeira coisa a fazer é uma parada para pensar no caso. Assim nossa atenção não fica dividida entre a pilotagem e uma tarefa que exige reflexão.

Esta não é a hora de escutar música ou ao CB.

A mensagem é esta:

Em toda a situação que exigir concentração, você diminui o número de distrações.

Se estiver pilotando uma moto diferente, você desliga o rádio, e não testa nenhum limite (tais como capacidade de fazer curvas em alta velocidade).

Se o tráfego aumentar de repente, ou ficar 'estranho', você aperta o botão "mute" e reduz a velocidade se possível.

Se o tempo ficar feio, você desliga o rádio e reduz a velocidade.

Claramente, seu rádio pode se tornar uma distração indesejada. Não hesite em desligá-lo por um tempo.

Nenhum comentário:

Lista de Postagens