23.10.07

FAZENDO UM BRIEFING

- Com seu novo passageiro - Antes que eu deixe um passageiro (garupa) montar em minha moto, eu faço um briefing com ele, uma pequena instrução. Eu explico que enquanto estiverem em minha moto, ELES são o chefe, que se quiserem ir mais devagar, ou parar, por qualquer motivo, que me avisem. Eu explico que não é minha intenção assustá-los, enquanto estiverem na moto, mas lhes ajudar a apreciar a experiência. Em troca disso, há um preço: Têm três trabalhos ao andarem como garupas, e devem concordar em montar e desmontar da moto somente com minha permissão.

Eu explico que montam e desmontam somente quando eu estiver na moto (que estará em marcha neutra), e com os dois pés no chão e o apoio lateral levantado (isto, porque se o apoio lateral estiver abaixado, e eles jogarem seu peso no assento, isto comprimirá os amortecedores – causando um efeito de alavanca, possivelmente derrubando a moto para o outro lado). Eu aceno e aviso que podem subir na moto, quando estou pronto. Eu faço o mesmo quando estou pronto para que eles desçam.

Nas curvas, peço que se inclinem suavemente junto comigo, evitando ficar 'retos' (não é para manter o corpo na vertical).

Nos sinais de trânsito, não devem se inclinar muito para a direita, pois posso perder o equilíbrio se apenas o pé esquerdo estiver no chão. O bom é ficarem na vertical, se possível.

Devem guardar a conversa para momentos que não exijam concentração. Durante uma parada em sinal de trânsito, pode-se conversar assuntos rápidos, mas o melhor é não me distrair.

Se eles enxergarem algo errado, devem me avisar nesse momento. Como por exemplo, uma bagagem que está frouxa, ou o apoio lateral que está abaixado.

Eu digo-lhes que nunca tive um acidente, mas que não importa o que acontecer quando estivermos andando, devem manter seus pés nos apoios e nunca, nunca, colocar os pés no chão para tentar manter a motocicleta de pé.

A respeito dos daqueles três trabalhos que eles têm:

* Devem acenar amigavelmente para os motociclistas que aproximam no sentido oposto.

* Devem acenar para todas as crianças que mostrem qualquer interesse.

* Devem demonstrar ao mundo que estão se divertindo, particularmente nas paradas de descanso.

Deixar de fazer algum desses trabalhos, eu declaro, resultará neles tendo um novo trabalho quando o passeio terminar: Limpar os raios das rodas!

Isto vale para as viagens em estradas, na cidade o garupa está dispensado destes trabalhos.

A respeito de minhas próprias regras pessoais ao pilotar com um passageiro:

A única coisa que eu quero ‘exibir’ é que pilotar uma motocicleta pode ser seguro e agradável.

Eu quero desafiar-me tentando mudar as marchas sem o passageiro perceber (sem ‘jogo’ de cabeça para frente ou para trás)

Eu quero andar e parar com o passageiro sem saber ao certo se começamos a andar, ou se paramos completamente – isto é, suavidade nos comandos sempre que possível.

Assim, o passeio se torna muito mais agradável para o garupa, que terá uma boa sensação de segurança, e pensará que você é muito habilidoso.

(Para a maioria das pessoas, a pilotagem sem surpresas e sem sustos passa a impressão de habilidade e segurança, enquanto que 'demonstrar habilidade' e fazer manobras diferentes passa a impressão de imprudência e falta de perícia.)

Nenhum comentário:

Lista de Postagens